“Parasite”, do sul-coreano Bong Joon-ho, venceu a Palma de Ouro da 72ª edição do Festival de Cannes

Vencedores Festival Cannes 2019

Terminou ontem em Cannes a 72ª edição do prestigiado Festival Internacional de Cinema. O júri presidido pelo mexicano Alejandro G. Iñárritu decidiu atribuir a Palma de Ouro ao sul-coreano Bong Joon-ho pela sua obra “Parasite” (Gisaengchung), uma comédia negra carregada de surpresas e que mistura suspense com drama social.

Joon-ho sucede na lista de vencedores a outro asiático, o japonês Hirokazu Koreeda, que venceu a edição do ano passado com o drama criminal “Shoplifters: Uma Família de Pequenos Ladrões“.

O Grande Prémio foi atribuído ex-aequo a “Les Misérables”, de Ladj Ly e “Bacurau”, dos brasileiros Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles. Já o prémio de Melhor Realização foi parar às mãos dos irmãos Jean-Pierre e Luc Dardenne por “Le Jeune Ahmed”, enquanto que, Céline Sciamma arrecadou o de Melhor Argumento por “Portrait de la Jeune Fille en Feu”.

Na área da interpretação, o espanhol Antonio Banderas venceu na categoria de Melhor Ator pela sua interpretação em “Dor e Glória“e Emily Beecham foi considerada a Melhor Atriz por “Little Joe”.

Confira o palmarés completo do Festival de Cannes 2019:

SELEÇÃO OFICIAL COMPETIÇÃO

MELHOR FILME – PALMA DE OURO
– “Parasite”, de Bong Joon-ho

MELHOR REALIZAÇÃO
– Jean-Pierre e Luc Dardenne por “Le Jeune Ahmed”

MELHOR ATOR
– Antonio Banderas por “Dor e Glória”

MELHOR ATRIZ
– Emily Beecham por “Little Joe”

MELHOR ARGUMENTO
– Céline Sciamma por “Portrait de la Jeune Fille en Feu”

GRANDE PRÉMIO DO JÚRI (ex-aequo)
– “Les Misérables”, de Ladj Ly e
– “Bacurau”, de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles

GRANDE PRÉMIO
– “Atlantique”, de Mati Diop

MENÇÃO ESPECIAL
– Elia Suleiman por “It Must Be Heaven”

UN CERTAIN REGARD

MELHOR FILME
– “The Invisible Life of Eurídice Gusmão”, de Karim Aïnouz

MELHOR REALIZADOR
– Kantemir Balagov por “Beanpole”

MELHOR INTERPRETAÇÃO
– Chiara Mastroianni por “Chambre 212”

PRÉMIO DO JÚRI
– “O Que Arde”, de Oliver Laxe

PRÉMIO ESPECIAL DO JÚRI
– “Liberté”, de Albert Serra

MENÇÃO ESPECIAL
– Bruno Dumont por “Jeanne”

PRÉMIO COUP DE COEUR (ex-aequo)
– “La Femme de Mon Frère”, de Monia Chokri e
– “The Climb”, de Michael Angelo Covino

OUTROS PRÉMIOS

MELHOR CURTA-METRAGEM
– “The Distance Between Us and The Sk”, de Vasilis Kekatos

MENÇÃO ESPECIAL CURTA-METRAGEM
– “Monstruo Dios”, de Agustina San Martin

CÂMARA DE OURO
– César Díaz, por “Nuestras Madres”

PRÉMIO GOLDEN EYE DOCUMENTÁRIO
– “For Sama”, de Waad Al-Khateab e Edward Watts

PRÉMIO ECUMÉNICO
– “Hidden Life”, de Terrence Malick

PRÉMIO FIPRESCI – SECÇÃO OFICIAL
– “It Must Be Heaven”, de Elia Suleiman

PRÉMIO FIPRESCI – UN CERTAIN REGARD
– “Beanpol”, de Kantemir Balagov

PRÉMIO FIPRESCI – QUINZENA DOS REALIZADORES
– “The Lighthouse”, de Robert Eggers

Artigos relacionados