Fantasmas que foram introduzidos em “Annabelle 3” podem ser o alvo de novos spin-offs

Novos spin-offs da franquia The Conjuring

O universo da franquia de terror The Conjuring continua a crescer e pode muito brevemente expandir-se com novos personagens em filmes derivados. Numa recente entrevista à Entertainment Weekly, o argumentista e realizador Gary Dauberman revelou que um ou dois fantasmas que foram introduzidos e vistos nos trailers de “Annabelle 3: O Regresso a Casa“, estão a ser considerados para serem os protagonistas dos seus próprios filmes.

De acordo com a publicação, a boneca maligna é um “farol para outros espíritos” e que podemos argumentar como questionável a decisão de a colocar numa sala com uma dúzia de objetos assombrados. No trailer, uma dessas entidades chama a atenção, o Barqueiro, um fantasma encapuçado com moedas sobre os olhos que “rouba as almas” dos vivos, e que parece cientificamente calibrado para assustar o inferno de praticamente qualquer um.

Dauberman, que escreveu os argumentos dos dois filmes anteriores de Annabelle, bem como “The Nun: A Freira Maldita“, e os dois capítulos da adaptação de Stephen King, “It“, revelou à EW que a inspiração do personagem veio da figura mitológica grega Caronte, o barqueiro no Rio Styx, encarregado de transportar as almas dos mortos para o seu destino final. Esse mito também foi o ímpeto para o antigo e assustador costume de colocar moedas nos olhos dos recém-falecidos, um costume que Dauberman achou deliciosamente esquisito.

“Uma das coisas que sempre me assombra quando estou online, e vejo certas coisas, são as imagens desses cadáveres com as moedas nos olhos, que era para pagar ao Barqueiro, algo que sempre achei que era uma ideia realmente interessante. Há uma qualidade muito sombria para todas essas coisas, por isso, era algo que eu queria aprofundar aqui”, disse Dauberman.

Dauberman insiste que os cineastas por trás dos filmes do universo The Conjurng – incluindo ele mesmo e o mentor James Wan – nunca entram num projeto com o pensamento de como podem desmembrar certos personagens. Mesmo no caso de The Nun, que se tornou no filme com mais receitas de bilheteira de toda a série, Dauberman diz que foi puramente a reação do público à aparição da freira demoníaca Valak em “The Conjuring 2 – A Evocação“, que lhes permitiu tomar a decisão de explorar a personagem num filme derivado.

“Tem havido alguns artefatos pelos quais realmente me apaixonei e que adoraria arranhar abaixo da superfície que apresentei aqui e ver o que há com eles”, disse o cineasta, o que pode significar que não esteja apenas a refletir e esteja a dizer que definitivamente estão para vir mais spin-offs.

Contando já com o recente “A Maldição da Mulher Que Chora“, os seis filmes da franquia alcançaram notáveis marcos nas bilheteiras e juntos já arrecadaram quase US$ 1,7 mil milhões. Com a estreia do terceiro filme de Annabelle, agendado para 4 de julho em Portugal, e que marca a estreia na cadeira da realização de Dauberman, é bem possível que ultrapasse a fasquia dos dois mil milhões de dólares em receitas mundiais.

Artigos relacionados