Cine’Eco – Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela

Imagem: @cineecoseia

Vai decorrer entre os dias 14 e 21 de outubro, o Cine’Eco – Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela, uma iniciativa do Município de Seia, que se realiza desde 1995, o único festival de cinema em Portugal, dedicado à temática ambiental.

A Casa Municipal da Cultura de Seia e o CISE – Centro de Interpretação da Serra da Estrela, são os locais que ao longo dos oito dias vão acolher, para além das secções competitivas e os vários ciclos de cinema, um conjunto de atividades paralelas, como conferências, concertos, workshops e exposições.

A edição de 2017 do Cine’Eco está centrado na ideia “Tudo pode mudar: Oceanos, Clima e Economia” e coloca em exibição 100 filmes, oriundos de mais de 25 países, desde longas e curtas-metragens, até documentários e reportagens de televisão. Confira a programação:

COMPETIÇÃO INTERNACIONAL LONGAS
– “Coros do Anoitecer” – Itália
de Nika Saravanja e Alessandro D’Emilia
– “Ondas Brancas” – Espanha
de Inka Reichert
– “Rio Azul: Pode a Moda Salvar o Planeta?” – Canadá
de David McIlvride, Roger Williams (Canadá), 2016, 95’
– “Os Burros Mortos Não Temem Hienas” – Alemanha
de Joakim Demmer
– “O Poder de Amanhã” – Canadá
de Amy Miller
– “Como Deixar o Mundo Seguir em Frente e Amar Todas as Coisas que o Clima não Pode Mudar?” – EUA
de Josh Fox
– “A Idade das Consequências” – EUA
de Jared P. Scott
– “Perseguindo Corais” – EUA
de Jeff Orlowski
– “Nahui Ollin – Sol em Movimento” – México
de Antonino Isordia, Teresa Camou, Carlos Armella, Sergio Blanco, Michelle Ibaven, Roberto Olivares, Eleonora Isunza Gutierrez e Gustavo M. Ballesté.

COMPETIÇÃO LUSOFONIA LONGAS
– “Moon Europa”, de Nuno Escudeiro (Itália/Portugal)
– “Belo Monte: Um Mundo Onde Tudo é Possível”, de Alexandre Bouchet (Brasil)
– “António”, de Hugo Dinis Neves (Portugal)
– “Baía Urbana”, de Ricardo Gomes (Brasil)
– “Deriva Litoral”, de Sofia Barata (Portugal)
– “Terra e Luz”, de Renné França (Brasil)
– “Caminho do Mar”, de Bebeto Abrantes (Brasil

O festival integra ainda dois segmentos competitivos de curtas-metragens, a competição internacional, com 42 filmes e a competição lusofonia, com 13 filmes concorrentes. A programação também contempla a competição lusofonia Panorama Regional. As produções para televisão também estão presentes no certame, com a competição de documentários e reportagens.

Fora de competição, na secção Sessões Especiais, serão exibidas 9 curtas e 8 longas-metragens, entre elas, duas produções nacionais, o clássico do cinema mudo português de 1923, “Os Lobos” de Rino Lupo e “Tábuas com História” de Marcantonio Del Carlo. Destaque também para os filmes “Tudo Pode Mudar” (This Changes Everything) de Avi Lewis, “Uma Verdade (Mais) Inconveniente” (An Inconvenient Sequel: Truth to Power) de Bonni Cohen e Jon Shenk e “A Odisseia”, de Jérôme Salle, filme que já passou pelos cinemas portugueses. A secção fica completa com três animações, “A Tartaruga Vermelha” (The Red Turtle), que foi exibida no Cinanima 2016, “Amarelinho” e “A Canção do Mar“.

Consulte todas as informações sobre o festival e a programação completa no site oficial do Cine’Eco.

Artigos relacionados