Apesar de novas acusações, Bryan Singer continua como realizador da nova adaptação de “Red Sonja”

Bryan Singer em negociações para dirigir a nova versão de Red Sonja

Com várias acusações de assédio sexual e má conduta, Bryan Singer (X-Men: Apocalipse) foi contratado em setembro do ano passado pela Millennium Films para dirigir a nova adaptação cinematográfica de “Red Sonja”, projeto em desenvolvimento há mais de uma década.

Face às notícias divulgadas num artigo da Atlantic, em que o cineasta é novamente acusado de pedofilia, envolvendo um jovem ator de 13 anos, alegadamente por lhe ter acariciado os genitais durante os sets de filmagens e de ter relações sexuais com dois menores de 18 anos, os fãs criaram uma petição para demitirem Singer da realização.

No entanto, todos as acusações sobre o realizador não afetaram Avi Lerner, presidente do estúdio, que confirmou que Singer continua anexado ao projeto.

“Os mais de US$ 800 milhões arrecadados por Bohemian Rhapsody, que o tornaram no drama de maior bilheteira da história do cinema, é uma prova de sua notável visão e perspicácia. Sei a diferença entre fake news e a realidade, e estou muito confortável com esta decisão. Nos EUA, as pessoas são inocentes até prova em contrário”, disse Lerner ao portal Variety.

Singer negou consistentemente a má conduta, e classificou a história do Atlantic como “uma peça homofóbica” e afirmou que “reformula alegações de ações judiciais falsas”.

A história foi publicada na quarta-feira, um dia depois de Bohemian Rhapsody ter recebido cinco indicações ao Óscares, filme em que continua creditado como realizador, depois de ter sido demitido pela 20th Century Fox, sendo substituído por Dexter Fletcher nos últimos estágios das filmagens.

O filme é baseado na heroína criada por Roy Thomas, editor da Marvel (na década de 1970), inspirada em contos de Robert E. Howard, ligada ao universo de “Conan, o Bárbaro”, que apareceu em centenas de revistas de banda desenhada ao longo de décadas.

A primeira adaptação ao grande ecrã foi em 1985, com o título português “Kalidor: A Lenda do Talismã”, com Brigitte Nielsen a dar vida à personagem, filme em que Arnold Schwarzenegger interpretou o Príncipe Kalidor (um clone de Conan).

Artigos relacionados